O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Apoio aos trabalhadores: "Justo e desejável seria a renegociação intercalar da tabela"

Apoio aos trabalhadores: "Justo e desejável seria a renegociação intercalar da tabela"

Bancário da Caixa Geral de Depósitos vai receber 600 euros em dezembro, mas diz que não chega para a inflação.

Miguel Dias espera receber em dezembro mais 600 euros brutos para alegrar o fim do ano, já que a Caixa Geral de Depósitos (CGD), onde trabalha, decidiu dar um abono aos funcionários com salários até 2700 euros como forma de ajudar a combater a inflação. Conta gastar o dinheiro em despesas correntes e admite que preferia uma renegociação salarial para aumentar o rendimento de forma permanente.

"O que acho que seria justo e desejável é uma negociação intercalar da tabela salarial de 2022", algo que abarcaria todos os trabalhadores e também os aposentados da Caixa, "que estão indexados ao pessoal no ativo", defende Miguel Dias ao JN. As entidades que representam os trabalhadores negociaram o mais recente aumento num contexto em que "não havia inflação, não havia guerra, as taxas de juro estavam historicamente baixas e o nível de vida era totalmente diferente". Daí que considera "o aumento negociado muito parco para as taxas de inflação que enfrentamos este ano".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG