Mobilidade

Automóveis a gás natural cresceram 91% no ano passado

Automóveis a gás natural cresceram 91% no ano passado

O parque automóvel a gás natural em Portugal aumentou 91% em 2019, para 752 veículos, sendo a maioria autocarros e camiões, de acordo com a Gasnam -- Associação Ibérica do Gás Natural e Renovável para a Mobilidade.

Em comunicado, a associação detalhou que 72% do total destes veículos são autocarros e camiões, destacando "o forte aumento dos autocarros (136%)", com 232 matrículas novas em 2019.

Nos veículos ligeiros de passageiros, a subida foi de 63% e nos comerciais de 59%, revelou a Gasnam.

"Foram matriculados em Portugal um total de 359 veículos a gás natural em 2019", de acordo com os dados apurados pela associação.

"Este aumento indica uma penetração cada vez maior desta solução de mobilidade junto dos profissionais e dos particulares que reconhecem, assim, as vantagens ambientais e económicas da sua utilização", indicou Victor Cardial, delegado da Gasnam em Portugal.

De acordo com o mesmo comunicado, "os autocarros representam mais de metade da frota de veículos movidos a gás natural em Portugal, tendo este segmento observado, no ano passado, a maior subida em termos de matrículas registadas".

No segmento profissional, sobretudo no transporte internacional, "a opção por veículos propulsados a gás natural liquefeito tem vindo a impor-se como a solução economicamente mais vantajosa junto de inúmeros operadores logísticos", acrescenta.

A associação defendeu que o uso de veículos a gás natural "contribui para a redução das emissões de gases com efeito estufa", além de ter vantagens do ponto de vista económico, visto que gera poupanças, "em alguns casos, na ordem de 50%, face aos combustíveis tradicionais".

A Gasnam atribui o crescimento não só às preocupações ambientais, mas também aos "novos investimentos que têm vindo a ser feitos na expansão da rede de postos de abastecimento de gás natural nos principais centros urbanos e eixos rodoviários".

A associação acredita que a tendência irá acelerar este ano e que "as novas matrículas deverão exceder as 500 unidades".

Esta associação transnacional tem como missão promover a utilização do gás natural no setor dos transportes.