O Jogo ao Vivo

Comércio

Automóveis usados ganham importância em ano de pandemia

Automóveis usados ganham importância em ano de pandemia

Em 2020, os automóveis em segunda mão importados voltaram a ganhar peso na comparação com os veículos novos, segundo dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP). O gasóleo ainda é o rei neste ramo de negócio, ao contrário do que acontece nos carros novos.

Foram importados 58 080 automóveis usados ligeiros de passageiros, menos 26,9% face às 79 422 unidades registadas em 2019. Foi o pior ano desde 2016. A travagem acentuou-se nos carros novos: as vendas diminuíram 35%, para 145 417 matrículas, o ano mais negro desde 2014, na saída da troika de Portugal.

A quota de mercado dos carros em segunda mão atingiu os 39,9% no ano passado, mais 5,4 pontos percentuais do que em 2019. Peugeot, Renault, Mercedes, BMW e Audi foram as cinco marcas mais procuradas neste mercado, de acordo com a ACAP. Segundo o Instituto Nacional de Estatística, os veículos a gasóleo representaram mais de 57% dos automóveis importados. A gasolina ficou com mais de 40% deste mercado - nos novos, a gasolina lidera desde 2019. Alemanha, França, Bélgica e Espanha são os principais países de origem.

PUB

Mais baratos

"O investimento num carro novo é muito superior ao de um carro usado. Num momento de quebra de poder de compra, muitas famílias não têm orçamento para um automóvel novo", destaca o líder da Associação Portuguesa do Comércio Automóvel (APDCA), Nuno Silva. Desde 2013 que os carros em segunda mão têm cada vez mais peso no mercado nacional. A quota de mercado mais do que duplicou nos últimos sete anos, dos 15,6% para os 39,9%.

O peso dos impostos é o principal motivo para a aceleração dos usados. "O veículo novo tem uma grande incorporação de impostos em Portugal, o que não acontece noutros países europeus", lamenta. A APDCA nota que a fiscalidade "incentiva os portugueses a manterem os automóveis antigos, porque paga-se cada vez menos imposto de circulação (IUC) quanto mais velho forem.

O Orçamento do Estado para 2021 poderá reforçar a quota de mercado dos carros usados. Foi reduzida, conforme a idade, a componente ambiental que serve de cálculo no imposto sobre veículos pago para carros importados na União Europeia. Quanto mais velho for o veículo, menor o imposto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG