banca

Banca diz que se Estado pagar dívidas há meios para financiar a economia

Banca diz que se Estado pagar dívidas há meios para financiar a economia

O presidente do BCP, Carlos Santos Ferreira, estimou, esta segunda-feira, em 50 mil milhões de euros a exposição da banca ao Estado e defendeu que se o Estado pagasse as suas dívidas libertaria meios substanciais para financiar a economia.

"Acho que era efectivamente a melhor maneira de resolver a crise em vez de andarem com essas estórias. O peso da exposição do Estado à banca é na ordem dos 50 mil milhões. Se o Estado pagasse às empresas públicas, às autarquias e às regiões aquilo que lhes deve, se, por sua vez, essas empresas públicas, essas autarquias e essas regiões, pagassem o que devem, ficaria liberta uma quantidade muito grande de meios que permitiriam financiar a economia", afirmou o banqueiro.

Santos Ferreira, que falava à margem de uma conferência promovida pelo "Diário Económico" e que decorre em Lisboa, disse ainda, sobre a possibilidade do BCP vender os seus activos na Polónia, não haver "nada de concreto" e que o banco esteve a "estudar todas as opções possíveis" e que as irá dar a conhecer quando anunciar as opções estratégicas.

Questionado sobre a hipótese do aumento de liquidez dos bancos chegar através do pagamento dos compromissos do Estado, o presidente do BES, Ricardo Salgado, disse apenas que tal "ajudava muito, certamente", também em declarações à margem da conferência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG