Economia

Banco de Portugal espera que economia destrua 4,8% do emprego este ano

Banco de Portugal espera que economia destrua 4,8% do emprego este ano

O Banco de Portugal espera que a economia portuguesa destrua mais 4,8% do emprego este ano, depois de uma queda de 4,2% em 2012, e que, no próximo ano, haja uma redução de 1,3% do emprego.

De acordo com o Boletim Económico de Verão, divulgado esta terça-feira, esta evolução traduz "uma redução muito acentuada tanto do emprego público como do emprego no setor privado", tendo esta estimativa implícita uma redução do emprego privado de 5,1% em 2013 e uma queda de 0,3% em 2014.

"À semelhança do ocorrido em 2012, a redução do emprego no horizonte de projeção deverá ser claramente superior à da atividade [económica], o que sugere que o ajustamento é percebido pelos agentes económicos como permanentes. A existência de fenómenos de retenção de emprego é, desta forma, reduzida, o que se deverá acentuar num cenário de prolongamento do período recessivo", argumenta a instituição liderada por Carlos Costa.

No relatório, os técnicos do BdP alertam que esta situação "poderá colocar desafios adicionais ao mercado de trabalho" e que "a reafetação setorial do emprego, que é potenciada por uma evolução da atividade particularmente desfavorável nos setores relativamente mais intensivos em mão-de-obra, como a construção, pode gerar fenómenos de persistência de desemprego".

Estas previsões são mais negativas do que as apresentadas pela instituição em março, quando o BdP divulgou o Boletim Económico de Primavera, em que indicava que a economia portuguesa deveria destruir mais 3,3% dos empregos durante este ano até conseguir atingir uma "relativa estabilidade" em 2014.

Outros Artigos Recomendados