Contas

Bancos arrecadam mil e oitocentos milhões de euros só em comissões

Bancos arrecadam mil e oitocentos milhões de euros só em comissões

Os cinco maiores bancos a operar em Portugal arrecadaram, em 2019, mais de 1859 milhões de euros em comissões bancárias. Estas receitas do Novo Banco, Caixa Geral de Depósitos, BCP, BPI e Santander Totta significam mais cerca de 50 milhões face a 2018.

O Novo Banco foi o último a apresentar resultados, com prejuízos de 1058 milhões, ainda assim menores perdas do que as de 1412 milhões de euros do ano anterior. Quanto a comissões, conseguiu 323,5 milhões de euros, mais 3,1%.

As comissões relacionadas com serviços de pagamentos e sobre empréstimos e garantias diminuíram, o que atribui à concorrência, mas essa queda "foi compensada pelo crescimento das comissões de gestão de ativos, assessoria, "servicing" e diversos".

O BCP cobrou, na operação em Portugal, 483 milhões de euros em 2019, um aumento de 1,7%.

A Caixa Geral de Depósitos conseguiu 414 milhões em "resultados de comissões e serviços", mais 5,3% face 2018, o que justifica com "a colocação de seguros e fundos de investimento".

Já o Santander Totta conseguiu 380 milhões com comissões líquidas, um acréscimo de 4,8% atribuído à "evolução favorável das comissões de meios de pagamento e de seguros".

Descida no BPI

Por fim, o BPI registou 257 milhões de euros em comissões líquidas, menos 7,2% face a 2018. Porém, vendeu o negócio de cartões, "acquiring" e de banca de investimento ao CaixaBank (dono do BPI), não constando as respetivas comissões.

Segundo o BPI, excluindo o efeito decorrente dessas vendas, em base comparável, as comissões aumentaram 14 milhões (5,7%).

O Parlamento aprovou, na generalidade, a proposta do PS que limita as comissões bancárias em plataformas eletrónicas (como MB Way) e baixaram à especialidade propostas do BE, PCP e PAN para proibir essas comissões. Aprovou ainda propostas do BE e do PSD que impedem os bancos de cobrar comissões por processamento da prestação de crédito.

990 trabalhadores foi a redução no número de trabalhadores dos principais bancos. A Caixa Geral de Depósitos liderou as perdas, com menos 575 pessoas. Só o BCP tem aumento líquido de funcionários.

Fecharam 104 balcões - No ano passado, havia menos 104 balcões do que em 2018 nos cinco maiores, com o BCP a liderar o fecho de agências. A Caixa registou a menor quebra.

Lucro agregado - Os cinco bancos registaram um lucro agregado de 874 milhões de euros em 2019, contra os 375 milhões de 2018, com apenas o Novo Banco a continuar nos prejuízos.

Outras Notícias