Financiamento

Bancos deram mais 25 mil moratórias de crédito em setembro

Bancos deram mais 25 mil moratórias de crédito em setembro

Maior subida foi registada nos empréstimos ao consumo, com 12 mil novas autorizações de suspensão de prestações.

Aumentaram em setembro as moratórias concedidas pelos bancos a famílias e empresas. Foram, ao todo, autorizadas mais 25 mil suspensões nas prestações dos empréstimos no mês de setembro face ao mês anterior, de acordo com informação divulgada ontem pelo Banco de Portugal.

No total, até setembro, os bancos em Portugal deram 751 mil moratórias, a maioria no crédito à habitação, que representam 42% do bolo global. Em setembro, foram concedidas mais cinco mil moratórias nos empréstimos da casa.

Também no consumo

No crédito ao consumo, os bancos deram mais 12 mil moratórias, para um total de 217 mil no final do mês.

Já no crédito a empresas, empresários em nome individual e outros, os bancos concederam mais sete mil moratórias, fazendo crescer o número de contratos com os pagamentos da prestação suspensos para 216 mil.

Mais de 535 mil contratos dizem respeito a particulares, que correspondem a 71% das moratórias concedidas, indica o Banco de Portugal.

PUB

No total de quatro dos maiores bancos em Portugal que já apresentaram resultados dos nove meses de 2020, o montante global de moratórias concedidas vai em quase 25 mil milhões de euros.

No caso da Caixa Geral de Depósitos, atribuiu 62 mil moratórias, num montante global de 5,65 mil milhões de euros, até ao final do mês de outubro. O Santander Portugal deu moratórias na ordem dos 9 mil milhões de euros. Quanto ao Millennium BCP, concedeu 100 mil moratórias no valor de 4,2 mil milhões de euros e o Banco BPI aprovou 77,8 mil moratórias num montante de 6,1 mil milhões de euros.

Mitigar perdas

A suspensão do pagamento das prestações do crédito foi uma das medidas adotadas pelo Governo e o setor financeiro para ajudar as famílias e empresas a lidarem com uma das maiores crises de sempre, provocada pelas políticas impostas no âmbito da pandemia do novo coronavírus.

As moratórias também impedem que os bancos e sociedades financeiras tenham de registar um eventual aumento do crédito em incumprimento. O prazo final das moratórias era, inicialmente, o mês de setembro de 2020, mas a sua vigência tem sido prolongada e está agora fixada a data-limite no final no mesmo mês, mas em 2021.

CGD

Total de contratos

A CGD tinha, no final de outubro, 62 387 contratos de crédito com moratórias, menos 15 mil do que em final de julho, abrangendo 5651 milhões de euros.

Famílias/empresas

Nos clientes particulares, havia 40 927 (2302 milhões de euros), enquanto nas empresas eram 21 460 (3349 milhões de euros).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG