Financiamento

Bancos emprestam 31 milhões por dia para compra de casa

Bancos emprestam 31 milhões por dia para compra de casa

Crédito à habitação atingiu o máximo da década em 2020. Dezembro foi o melhor mês em 12 anos.

Há 12 anos que os bancos não emprestavam tanto crédito para a compra de casa. O último dezembro foi o melhor mês desde 2008, quando estalou a crise financeira global a partir dos Estados Unidos. A banca emprestou em dezembro 1,2 mil milhões de euros, mais 90 milhões de euros do que o valor concedido no mês anterior e do que o montante emprestado em dezembro de 2019.

No conjunto de 2020, em plena crise, as famílias endividaram-se em mais 11,4 mil milhões de euros para a compra de casa, um novo máximo da década, segundo os dados divulgados ontem pelo Banco de Portugal. Trata-se de um aumento de 7,4% face ao montante registado em 2019. Por dia, no ano passado, os bancos emprestaram 31,2 milhões de euros para a compra de casa.

As baixas taxas de juro foram um incentivo para o crédito à habitação. A taxa de juro média nas novas operações de empréstimos a particulares desceu em dezembro 30 pontos base relativamente ao período homólogo, para 0,80%, fixando um novo mínimo histórico, pelo quinto mês consecutivo.

"O mês de dezembro é quando os bancos tentam atingir alguns objetivos e podem estar mais predispostos a conceder crédito. Também é neste mês que fecham processos pendentes", disse Nuno Rico, economista da Deco. "As taxas de juro estão em mínimos e há aqui o efeito das famílias que não perderam rendimentos e aproveitam algumas oportunidades no mercado", adiantou. Para o economista, a primeira metade de 2021 ainda deverá ser forte no crédito à habitação. "No primeiro semestre é possível que ainda se mantenha esta tendência. Assim que acabarem as moratórias poderá ser diferente".

A maioria das moratórias termina no final de setembro deste ano e ainda poderá ser estudada uma solução para a criação de um período de transição que ajude as famílias e empresas que não consigam retomar o pagamento integral das prestações dos respetivos créditos.

No crédito ao consumo, os bancos emprestaram 4,3 mil milhões de euros no ano passado, abaixo dos 5,3 mil milhões no ano anterior. No crédito para outros fins, foram concedidos 2,2 mil milhões de euros.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG