Economia

BCP com prejuízo histórico de 1219 milhões de euros

BCP com prejuízo histórico de 1219 milhões de euros

O BCP registou um agravamento do prejuízo para 1219 milhões de euros, que compara com os 848 milhões de euros do ano anterior, o que é justificado pelas imparidades para perdas estimadas e resultados associados à operação na Grécia.

"Entendo que hoje estamos em melhor posição do que há um ano atrás quando foram apresentados os resultados de 2011, com liquidez reforçada e com capital acima do exigido", afirmou hoje o presidente do banco, Nuno Amado, em conferência de imprensa.

A operação na Grécia, cuja venda está a ser negociada, teve um contributo negativo para os resultados no valor de 694 milhões de euros.

Na apresentação de resultados, Nuno Amado realçou que, apesar dos prejuízos recorde, há "uma conjugação de efeitos" que mostra que a instituição financeira está "melhor preparada para o futuro", com o reforço da liquidez e do capital e a rendibilidade com sinais de recuperação.

O banqueiro sublinhou a inversão da trajetória da margem financeira no último trimestre de 2012 bem como a queda das entradas líquidas em crédito vencido total em Portugal no segundo semestre.

No último ano, o BCP conseguiu reduzir as necessidades de refinanciamento, beneficiando do processo de desalavancagem que "prossegue a bom ritmo", com os depósitos de clientes a constituírem a principal fonte de financiamento.

"Os recursos de clientes em Portugal cresceram 2,2% e 12,5% nas operações internacionais", avançou.

Em contrapartida, o banco reduziu o crédito a clientes em 6%, elevando-se para 9,5% em Portugal.

Com a injeção de capital pelo Estado, o BCP atingiu um rácio de capital de 12,4%, sendo atualmente "um dos bancos mais capitalizados em relação aos pares da zona euro", sublinhou.

Nuno Amado defendeu que "2013 vai ser um ano difícil mas de inversão de tendência", considerando que "vai ser duro especialmente para quem está em Portugal".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG