Economia

BE condena barragem com "contributo ínfimo para produção de energia" em zona património da Humanidade

BE condena barragem com "contributo ínfimo para produção de energia" em zona património da Humanidade

O BE condenou sexta-feira a construção da barragem Foz Tua por estar inserida numa região património da Humanidade e com potencial turístico único, considerando que esta vai representar "um contributo ínfimo para a produção de energia no país".

Em declarações à agência Lusa, a deputada bloquista Rita Calvário acusou o Governo de esquecer o investimento nesta zona do país e considerou "lamentável" a opção de construir a barragem no rio Tua.

A construção da barragem de Foz Tua, entre os concelhos de Alijó -- distrito de Vila Real - e Carrazeda de Ansiães -- distrito de Bragança -, vai provocar a submersão da linha ferroviária do Tua.

Segundo a deputada do BE, que criticou o primeiro-ministro por ter estado hoje no arranque oficial da barragem de Foz Tua, a construção desta infraestrutura vai deixar as populações daquela zona de Trás-os-Montes "completamente isoladas" e sem direito ao comboio, "um serviço público de transporte".

"Este é um património importante do país, e este é um meio de transporte importante para as populações", referiu, defendendo a requalificação dos serviços e infraestruturas daquela região.

"Esta barragem destrói o acesso a paisagens únicas e destrói o potencial turístico da região", criticou.

A deputada do BE considerou ainda que, "em termos de política energética", a construção da barragem "nem sequer é interessante": "Será um contributo ínfimo para a produção de energia no país".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG