Exclusivo

Brasileiros são a "alma" da Uber Eats em Portugal

Brasileiros são a "alma" da Uber Eats em Portugal

A Uber Eats não revela quantos trabalham nas entregas, em Portugal. Quem anda no terreno contabiliza, a olho, 65 no Porto e o triplo em Lisboa. Asseguram-nos que a maioria são imigrantes ou aspirantes à nacionalidade portuguesa, porque "é dos poucos trabalhos que se conseguem fazer estando ilegais".

Filipe (nome fictício) avisa sempre os conterrâneos brasileiros que o "trabalho na Uber é bom", mas é preciso cuidado porque "não há contratos de trabalho, nem permissões para trabalhar". Alguns trabalham para "parceiros" legalizados que colocam outros a trabalhar para eles e pagam-lhes "uns míseros 30-40%". O estafeta assume o aluguer da mota (90 euros por semana) e a gasolina. Filipe calcula que "muitos, quando fazem as contas finais, ainda pagaram para trabalhar". É quando "muitos desistem" e o parceiro "contrata outros, por isso, parece que estão sempre a recrutar".

operações stop

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG