Bruxelas

Bruxelas pede "espírito construtivo" aos partidos políticos

Bruxelas pede "espírito construtivo" aos partidos políticos

O comissário europeu dos Assuntos Económicos, Olli Rehn, apelou, esta terça-feira, às forças políticas em Portugal para continuarem a trabalhar com o "espírito construtivo" que até agora caracterizou a implementação do programa de assistência.

Falando no Luxemburgo, na conferência de imprensa após a reunião de ministros das Finanças da União Europeia (UE), o vice-presidente da Comissão disse que "uma das decisões importantes" do Conselho Ecofin foi o aval dado pelos 27 à quinta revisão do programa de Portugal, "que continua no bom caminho" apesar da conjuntura externa adversa, aproveitado a oportunidade para deixar um apelo aos partidos políticos.

"Quero novamente encorajar as forças políticas a continuarem a trabalhar com o espírito construtivo que até agora caracterizou" a implementação do memorando de entendimento com a 'troika', declarou Olli Rehn.

A "luz verde" dos 27 às conclusões da quinta revisão do programa de assistência a Portugal segue-se ao aval dado na segunda-feira à noite pelos 17 membros da zona euro, permitindo assim o desembolso da sexta tranche da ajuda, no montante global de 4300 milhões de euros (cabendo 1500 milhões ao FMI, que também já deu sinais de que aprovará o pagamento, no final do mês).

O ministro das Finanças de Chipre, país que preside atualmente ao Conselho da UE, confirmou por seu turno que o Ecofin adotou formalmente a recomendação de dar mais a um ano a Portugal para a correção do défice excessivo.

Segundo o novo "calendário", o limite para o défice das contas públicas de Portugal passará a ser de 5% para este ano, 4,5% em 2013 e 2,5% em 2014.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG