O Jogo ao Vivo

Lançamento

Camiões Ford voltam às estradas portuguesas

Camiões Ford voltam às estradas portuguesas

Pela primeira vez, em cerca de duas décadas, surge em Portugal uma nova marca de pesados, a Ford Trucks. Uma estreia dupla, porquanto o nosso país é o primeiro na Península Ibérica a receber os camiões da marca e logo com o Camião Internacional do Ano 2019, o F-Max.

Como é normal na Ford Trucks, a marca não se implanta diretamente no país, entregando a sua representação a uma empresa local, neste caso a OneShop, com sede em Alverca, que tem à sua frente Bruno Oliveira, piloto do TT e que já conduziu o camião de assistência de Elisabete Jacinto num Paris-Dakar.

Sendo dos poucos administradores de uma empresa da área automóvel com carta de condução de pesados, foi ele que mostrou ao JN as potencialidades do F-Max, um "monstro" com um motor de seis cilindros em linha, 12.700 cc de cilindrada, 500 cavalos de potência, um binário de 2500 Nm e depósitos de combustível que levam 1.050 litros de gasóleo. Ou seja, para atestar o F-Max não chegam 1500 euros... isto sem contar com os 78 litros de AdBlue (solução aquosa de ureia e água desmineralizada) que atua sobre os gases de escape como conversor catalítico para reduzir as nocivas emissões de óxido de nitrogénio), que poderão custar perto de 100 euros.

Silêncio e eficiência
Num breve teste de estrada, na zona de Fátima, o novo camião, fabricado na Turquia, impressiona pelo silêncio a bordo e pela aparente facilidade com que se deixa conduzir, com o motor quase inaudível, rodando a 90 km/h a apenas 1.000 rpm. Tendo feito percurso desde Alverca, sede da empresa, chegou a Fátima com uma média de 20l/100km.

"Tudo no camião está virada para a eficiência, seja aquela que é obtida pelos avanços na parte mecânica, como pela que permite ao motorista uma jornada de trabalho mais relaxada. E complementadas com uma aplicação que mede quatro parâmetros da condução e possibilita ao motorista melhorar a sua performance", referiu, ao JN, Bruno Oliveira.

A caixa automática do veículo tem 12 velocidades (altas e baixas) e o F-Max dispõe de diversos sistemas de segurança, como a deteção da faixa de rodagem, dos níveis de sonolência do motorista, a travagem de emergência, ou o cruise controle adaptativo, que mantém a distância ao veículo da frente, travando e acelerando o camião. Este cruise control tem associado o sistema "Préditive" e, em conjunto com o GPS, reconhece o relevo do terreno e ajusta a velocidade, permitindo fazer o percurso no mesmo tempo mas com menor consumo.

Espaço
Para quem entra pela primeira vez na cabine de um destes "monstros do asfalto" impressiona a altura no interior do habitáculo, que permite andar de pé no seu interior. No caso do F-Max tem 2,5 m de largura, 2160 mm de altura entre o chão e o tejadilho e ainda 260 mm de ajuste do banco.

O interior, tal como sucede noutras propostas do mercado, está totalmente virado para conforto do motorista. Seja pela ergonomia de todos os comandos (e não são poucos) seja por aparelhos como uma máquina de café expresso (aqui oferecida de série), um mini-frigorífico e inúmeros compartimentos de arrumação ao estilo dos utilizados no aviões. Impossível não referir o astucioso compartimento na porta do condutor, que permite guardar os sapatos e é selado com uma borracha, impedindo a entrada de odores menos agradáveis.

No primeiro ano do veículo a internet é disponibilizada gratuitamente para o motorista, embora se mantenha sempre a ligação ao concessionário, permitindo antecipar ou detetar problemas à distância.

Expansão da rede
Sobre os objetivos da Ford Trucks para Portugal, o CEO da OneShop salienta que "as quotas e o volume de vendas não são o nosso campeonato", embora aponte para uma fatia de 3% do mercado.

"Queremos ser uma alternativa aos Premium. Estamos sediados em Alverca, mas já este ano queremos chegar ao Porto e a Leiria. No próximo ano, pretendemos abrir mais dois concessionários, no Algarve e em Viseu", referiu Bruno Oliveira.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG