Parlamento

Carlos Moedas ouvido na terça-feira na comissão de inquérito do Novo Banco

Carlos Moedas ouvido na terça-feira na comissão de inquérito do Novo Banco

Carlos Moedas, antigo secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro do governo de Passos Coelho, vai ser ouvido na comissão de inquérito do Novo Banco na terça-feira.

De acordo com a página da Assembleia da República, a audição de Carlos Moedas -- marcada para terça-feira, às 9.30 horas - é uma das três audições desta comissão de inquérito agendada para a próxima semana, que ouvirá ainda Carlos Calvário, antigo diretor do Banco Espírito Santo, e Luís Seabra, antigo diretor do departamento de auditoria interna do Novo Banco.

Na segunda-feira, o debate do requerimento do PS para ouvir o antigo secretário de Estado do governo PSD/CDS-PP e agora candidato à Câmara de Lisboa foi marcado pela troca de argumentos e acusações, sobretudo entre sociais-democratas e socialistas.

"Carlos Moedas já anunciou publicamente a sua disponibilidade para vir a esta comissão e inclusive houve contactos com a comissão no sentido de dizer que está disponível para vir à comissão. Vamos avançar com a convocação de Carlos Moedas para estar aqui presente", revelou então o presidente da comissão, o social-democrata Fernando Negrão no final de longos minutos de discussão.

Não tendo havido uma votação formal do requerimento, o deputado do PSD Duarte Pacheco fez questão de voltar a manifestar as reservas dos sociais-democratas a propósito desta audição, depois de inicialmente ter defendido que "ao contrário do que é normal", este requerimento deveria ser votado, manifestando a oposição dos sociais-democratas.

Na quarta-feira, Carlos Moedas, afirmou que a sua chamada à comissão de inquérito do Novo Banco se deve ao facto de ser candidato à Câmara de Lisboa.

"Não tenho absolutamente nada de novo. Só há um facto político de me chamarem para recordar uma situação da qual sou totalmente alheio. Tentar denegrir e insinuar", apontou, assegurando que irá ser ouvido pelos deputados "com imenso gosto".

PUB

O PS requereu na semana passada os depoimentos por escrito do antigo Presidente da República Cavaco Silva, dos antigos primeiros-ministros Durão Barroso e Passos Coelho e a audição presencial do ex-comissário europeu Carlos Moedas na comissão de inquérito do Novo Banco.

O anúncio foi feito no parlamento pelo coordenador do PS na comissão de inquérito, João Paulo Correia, um dia depois da audição de José Honório, ex-administrador do BES e Novo Banco, que segundo o socialista revelou que o antigo presidente do BES Ricardo Salgado entregou, em 2014, um memorando a cada uma das autoridades políticas em que dava conta do "buraco gigante em que estava enfiado o GES".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG