UE

Centeno confirma De Guindos para suceder a Constâncio no BCE

Centeno confirma De Guindos para suceder a Constâncio no BCE

O presidente do Eurogrupo confirmou, à entrada para a reunião de ministros das Finanças da zona euro, que o ministro espanhol Luis de Guindos sucederá a Vítor Constâncio na vice-presidência do BCE.

"Hoje vamos tratar de substituir Vítor Constâncio na vice-presidência do Banco Central Europeu. Tínhamos dois candidatos, fiquei a saber há uns minutos que o candidato irlandês já não estará como candidato, o que nos deixa Luis de Guindos como o candidato a vice-presidente do BCE", declarou Mário Centeno.

O presidente do Eurogrupo, que não respondeu a questões dos jornalistas, limitou-se a acrescentar que "o BCE tem uma importância muito grande para a Europa, é responsável pela estabilidade financeira, ou seja, influencia a vida de todos os cidadãos europeus, e portanto é um momento muito importante para a Europa".

Pouco antes, o ministro das Finanças irlandês anunciara, à chegada à reunião do Eurogrupo, o abandono da candidatura do governador do banco central irlandês, Philip Lane, à vice-presidência do BCE.

"Há algumas semanas nomeei Philip Lane para o cargo de vice-presidente do Banco Central Europeu. Hoje, confirmo que não vamos apresentar esta candidatura na votação desta tarde", declarou o ministro irlandês, à chegada à reunião de ministros das Finanças da zona euro, o Eurogrupo.

O ministro Paschal Donohoe justificou a decisão com o facto de "dada a importância do cargo, ser importante a decisão ser tomada por consenso", evitando-se assim uma divisão na votação de hoje.

O ministro espanhol Luis de Guindos, que era apoiado por Portugal, deverá assim ser esta segunda-feira nomeado pelo fórum de ministros das Finanças da zona euro, agora presidido por Mário Centeno, para suceder a Vítor Constâncio (que exercia o cargo desde junho de 2010), e confirmado na terça-feira pelo Conselho de ministro das Finanças da UE (Ecofin).

Na semana passada, a comissão de Assuntos Económicos do Parlamento Europeu, após audiências com ambos os candidatos, considerou o irlandês "mais convincente".