Economia

CGD vai injetar 3,5 mil milhões na economia portuguesa até 2014

CGD vai injetar 3,5 mil milhões na economia portuguesa até 2014

A Caixa Geral de Depósitos vai injetar 3,5 mil milhões de euros na economia até 2014, mil milhões dos quais já este ano, anunciou, esta terça-feira, o ministro da Economia e Emprego, Álvaro Santos Pereira.

"O Estado, como acionista da CGD, irá ter uma 'Carta de Missão', por forma a que o financiamento da CGD seja virado cada vez mais para as nossas PME [Pequenas e Médias Empresas]", revelou o governante em conferência de imprensa no final de um Conselho de Ministros extraordinário dedicado à aprovação de um plano para o crescimento económico em Portugal até 2020.

O governante disse ainda que o Estado vai dar instruções "para que a CGD liberte já este ano mais de mil milhões de euros para o financiamento à economia e para o próximo ano, 2014, mais de 2,5 mil milhões de euros para o financiamento dessa mesma economia".

O Governo anunciou também, esta terça-feira, que quer negociar com os bancos a diminuição dos 'spreads' pagos pelas PME portuguesas com o objetivo de apoiar as entidades no crescimento económico e criação de emprego.

Os referidos 'spreads' [margem de lucro dos bancos], disse o ministro da Economia, "ainda são bastante elevados em relação a outros países", e devem baixar com vista a "melhorar as condições de financiamento atuais e a médio prazo" das empresas nacionais.

Na conferência de imprensa desta terça-feira foi apresentada a 'Estratégia para o crescimento, emprego e fomento industrial 2013-2020'.