Mobilidade

Cimeira Ibérica: Andaluzia quer governantes a discutir alta velocidade Sevilha-Faro

Cimeira Ibérica: Andaluzia quer governantes a discutir alta velocidade Sevilha-Faro

O Governo Regional da Andaluzia quer incluir nos trabalhos da próxima Cimeira Luso-Espanhola a discussão sobre o prolongamento do comboio de alta velocidade Madrid-Sevilha até Huelva e Faro, no Algarve.

A ministra regional andaluza para o Desenvolvimento, Infraestruturas e Ordenamento do Território, Marifrán Carazo, disse à agência Lusa que o projeto "é estratégico para a Andaluzia e para o Algarve", havendo a necessidade de iniciar o seu estudo de viabilidade económica, para aproveitar os fundos europeus.

"A Europa aposta forte na ferrovia e nos projetos transfronteiriços e temos de aproveitar esta oportunidade única", disse Marifrán Carazo.

Segundo a responsável regional, tanto o Governo andaluz como o executivo português "já manifestaram interesse" pela continuação da alta velocidade Madrid-Sevilha até Faro, passando por Huelva, "mas até agora o Governo espanhol não se pronunciou".

"É um projeto transfronteiriço que tem de ser ponderado pela cimeira" que vai reunir os primeiros-ministros de Portugal e de Espanha, acompanhados pelos seus ministros, em Trujillo (Estremadura espanhola), em 28 de outubro, insistiu Marifrán Carazo.

A ministra regional avançou que é necessário, em primeiro lugar, estudar a viabilidade económica do investimento a realizar e em seguida "trabalhar com celeridade para convencer a Europa sobre a sua importância".

PUB

Marifrán Carazo considera que o Governo espanhol deveria "aproveitar ao máximo a possibilidade oferecida pelos fundos europeus da 'Próxima Geração'" para "apostar no caminho-de-ferro", tanto no que diz respeito ao projeto transfronteiriço como à linha ferroviária convencional Huelva-Sevilha.

O Próxima Geração UE (Next Generation em inglês) constitui uma peça central da resposta da União Europeia à crise provocada pela covid-19 e a sua verba (750 mil milhões de euros) será distribuída aos Estados-membros de duas formas: 390 mil milhões sob a forma de subvenções (transferências a fundo perdido) e 360 mil milhões de euros sob a forma de empréstimos.

As cimeiras Luso-Espanholas reúnem os membros dos dois Governos anualmente e de forma alternada num dos dois países, tendo a última reunião tido lugar em 10 de outubro do ano passado na Guarda, em Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG