aviação

Cinzas vulcânicas sobre Portugal obrigam aviões a desviar rota

Cinzas vulcânicas sobre Portugal obrigam aviões a desviar rota

A nuvem de cinzas vulcânicas no espaço aéreo português deslocou-se "ligeiramente" para Sul e forçou já a algumas restrições. De acordo com a NAV Portugal, até agora apenas foi necessário desviar algumas rotas, não tendo sido cancelados quaisquer voos.

Numa previsão a 24 horas, que pode sofrer alterações, a expectativa do Instituto de Meteorologia é de que a nuvem se aproxime da Península Ibérica, o que está a ser acompanhado pela NAV Portugal, a empresa que presta serviços de tráfego aéreo no território continental português e numa vasta área sobre o Atlântico Norte.

João Jacinto Ferreira, da divisão de meteorologia aeronáutica do Instituto de Meteorologia (IM), ressalvou, em declarações à Lusa, que as previsões são actualizadas a cada seis horas, pelo que a aproximação ao Noroeste da Península Ibérica que agora se antevê pode não ocorrer.

"A pluma de cinzas está a deslocar-se ligeiramente para sul" e "neste momento, tudo o que está a ocorrer passa-se no oceano. Há um aproximação ligeira para sul e há uma aproximação do território continental, mas é uma previsão para as 24 horas de hoje, quinta-feira", detalhou João Jacinto Ferreira.

"Mas tudo isto é reavaliado de seis em seis horas e poderá haver uma alteração a esta previsão", acrescentou.

De acordo com o meteorologista, a nuvem de cinzas vulcânicas mantém-se concentrada "abaixo dos seis mil metros de altura".

Por parte da NAV Portugal, a informação prestada pelo chefe de controlo de tráfego aéreo do centro de Lisboa, Rui Barros Costa, é a de que na região de voo sob a responsabilidade do centro de Santa Maria "foi emitida uma notícia de aviso à navegação aérea", uma vez que "existem restrições numa zona do espaço áereo de Santa Maria".

PUB

Porém, este espaço é "muito vasto" e estas restrições implicam, por enquanto, apenas o desvio do tráfego aéreo para outras rotas", explicou Rui Barros Costa.

O chefe de controlo de tráfego aéreo do centro de Lisboa adiantou que a NAV Portugal está "atenta" à evolução da deslocação da nuvem, recebendo informação do Instituto de Meteorologia, do Eurocontrol (organização europeia para a segurança da navegação aérea) e do Volcanic Ash Advisory Center de Londes, uma das entidades mundiais que reúne peritos responsáveis pela divulgação de informação sobre nuvens de cinzas vulcânicas.

A nuvem de cinzas vulcânicas libertada por um vulcão na Islândia entrou na quarta feira passada, ao início da manhã, no espaço aéreo português, localizando-se na altura a "centenas de quilómetros" do grupo oriental do Arquipélago dos Açores.

Nesse mesmo dia, a localização de parte da nuvem de cinzas na região da Europa do Norte levou ao encerramento do espaço aéreo da Escócia e da Irlanda, motivando o cancelamento de voos com destino e origem nestes países.

Uma anterior erupção do vulcão Eyjafjöll, no sul da Islândia, a 21 de Março, provocou uma nuvem de cinzas que paralisou o tráfego aéreo na Europa durante mais de uma semana, em Abril, causando grandes perdas para as companhias aéreas e impedindo o embarque de milhares de passageiros em todos os pontos do mundo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG