O Jogo ao Vivo

Economia

Comboios circulam com muito atraso na linha de Sintra

Comboios circulam com muito atraso na linha de Sintra

Apesar dos avisos de greve, os comboios estão a circular, esta segunda-feira, na linha de Sintra em ambos os sentidos embora com muitos minutos de atraso em relação aos horários normais.

Na estação de Agualva-Cacém, linha de Sintra, o funcionamento está a "meio gás", tendo o primeiro comboio oriundo de Lisboa entrado na estação por volta das 7.30 horas.

Nos altifalantes, foi dado o alerta de que este comboio não estaria a recolher passageiros, mas várias dezenas de pessoas -- algumas das quais esperavam desde a 6.30 horas -- entraram nas carruagens e deixaram Cacém em direcção a Sintra.

Inconformados com os atrasos, algumas das pessoas que tiveram receio de entrar nas carruagens disseram à agência Lusa estarem descontentes com a sucessão de greves que têm atingido a linha de Sintra desde o início do ano.

"Isto é uma palhaçada. Avisam que não levava ninguém, eu estava aqui há 20 minutos, e afinal de contas as pessoas entraram e seguiram. Eu fiquei, porque pensei que não era mesmo para seguir no comboio", disse à agência Lusa, Fernanda Henriques, utente da CP que esta manhã deveria estar no Centro de Emprego de Sintra.

Dez minutos depois, deu entrada na estação um comboio em direcção a Lisboa, deixando a estação praticamente vazia.

Alguns dos utilizadores do transporte ferroviário que esta manhã tinham escolhido como alternativa o autocarro para chegar aos seus destinos, regressaram à estação depois de ouvirem a entrada de comboios na estação.

PUB

"Cheguei à estação às 7.30 horas e dirigi-me para os autocarros. Pensava que não ia haver comboios, mas afinal de contas podia ter ido logo no que passou agora. Como só há um autocarro para Lisboa, quem não tem carro não tem grande alternativa para sair do Cacém", disse.

Às 8.15 horas já o tabuleiro da estação estava novamente repleto de passageiros. Os altifalantes anunciavam que iam chegar dois comboios com destino Lisboa dentro de momentos.

Doze minutos depois deu entrada o primeiro comboio, completamente lotado. Entre empurrões muitos tentaram a sorte e conseguiram entrar nas carruagens, mas a maioria acabou por nem tentar entrar.

"Eu vinha de Rio de Mouro mas tive que sair aqui no Cacém porque as carruagens estão completamente cheias. Tendo em conta a quantidade de pessoas que aqui estavam para entrar, o melhor foi mesmo sair porque os comboios hoje parecem latas de sardinhas", disse à Lusa um dos utilizadores do transporte ferroviário.

Os revisores e operadores de bilheteira da CP estão hoje a cumprir uma greve de 24 horas convocada pelo Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI).

A greve está a afectar muito a circulação de comboios esta manhã, registando-se entre 90 a 95 por cento de supressões, segundo a porta-voz da CP e o sindicato.

O protesto destina-se a contestar o fato de ainda não ter sido posto em prática o acordo assinado, a 21 de Abril, entre a Comissão Executiva da CP e os sindicatos que representam os trabalhadores da empresa.

Além disso, os grevistas discordam da redução, a partir de 1 de Junho, da oferta de comboios das áreas urbanas, com especial incidência nas linhas urbanas de Cascais e de Sintra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG