Eletricidade

Comercializadoras de energia aproveitam para aumentar tarifas

Comercializadoras de energia aproveitam para aumentar tarifas

Subida da tarifa regulada em 3% em abril determinada pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) é pretexto para tarifas liberalizadas aumentarem na mesma medida.

Depois da Galp, também a Endesa e EDP Comercial já estão a comunicar aumentos de 3% na fatura de eletricidade a partir de abril, a reboque do aumento no mercado regulado, anunciado há dias pela ERSE.

O aumento da tarifa regulada em abril será automático, devido à variação nos preços da energia nos mercados grossistas, contudo as tarifas liberalizadas já eram bastante superiores à do comercializador de último recurso, pelo que os tarifários já estariam ajustados às cotações do momento.

"Ao longo dos últimos anos, a EDP Comercial tem procurado garantir estabilidade aos seus clientes, atualizando as tarifas apenas no início de cada ano, mesmo em períodos de flutuação dos preços nos mercados grossistas. Durante o ano de 2021, a empresa decidiu manter os preços inalterados, apesar do valor da energia ter atingido recordes nos mercados", adiantou fonte da empresa líder de mercado em Portugal, ao JN.

"No entanto, o atual contexto internacional intensificou esta instabilidade e provocou uma subida no preço de aquisição de eletricidade, que é atualmente cerca de três vezes superior ao que foi registado no último trimestre do ano passado. Perante este contexto, a EDP Comercial fará uma atualização da tarifa de eletricidade para os seus atuais clientes residenciais, em linha com o recente anúncio de ajuste da tarifa do mercado regulado. Esta atualização vigorará a partir de maio e representa uma variação média de 3%", acrescentou a mesma fonte.

No que respeita à Endesa, fonte da empresa confirmou, ao JN, que vão "aumentar os preços de venda na mesma proporção em que a tarifa regulada aumentou, em 3%", a partir de 1 de abril. O compromisso da comercializadora é que "os clientes que contratem a partir dessa data, terão os seus preços mantidos durante um ano e terão a garantia de que não serão aumentados com os próximos aumentos tarifários regulamentados, que provavelmente terão lugar em junho". Os clientes em carteira, porém, não têm a mesma garantia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG