Economia

Concessionárias Audasa e Brisa acusadas de boicotarem interoperacionalidade das portagens ibéricas

Concessionárias Audasa e Brisa acusadas de boicotarem interoperacionalidade das portagens ibéricas

O Eixo Atlântico acusa as concessionárias de autoestradas Audasa e Brisa de "boicotarem" a interoperabilidade entre os sistemas de cobrança eletrónica de portagens de Portugal e Espanha, acordado na última cimeira ibérica.

Na quarta-feira, o ministério do Fomento espanhol anunciou que os testes da interoperabilidade dos dois sistemas, operados pela Via-T em Espanha e pela Via Verde em Portugal, já decorriam na AP-9 (Galiza) desde 01 de outubro, e nas autoestradas nacionais operadas pela Brisa.

No entanto, segundo a secretaria-geral do Eixo Atlântico, os utentes têm encontrado, nos últimos dias, problemas de funcionamento quer na portagem do Porriño quer na de Santo Tirso.

Por essa razão, o Eixo reclama em comunicado para que os concessionários "não tomem medidas punitivas contra os utentes, vítimas de manobras internas de empresas que confundem um serviço público com negócios especulativos".

Face aos problemas registados, a secretaria-geral do Eixo Atlântico abre um compasso de espera de 72 horas para que se resolva o problema. Se não forem encontradas soluções, ou se algum utente for multado, o Eixo avançará com uma queixa junto da do Comissário da Concorrência da União Europeia.

Para esta associação de municípios do Norte de Portugal e da Galiza, não há qualquer dúvida de que "tecnicamente o sistema funciona" até porque foi testado pelos seus funcionários "sem que se produzisse nenhuma anomalia".

Esta convicção é reforçada por um mail a que o Eixo teve acesso, enviado pelo diretor da ASETA (associação patronal das autoestradas espanholas) à ministra do fomento, Ana Pastor, que é categórico: "Confirmo que já está firmado o acordado para os testes entre todas as partes e que desde 1 de outubro clientes da Via Verde circulam pela AP-9 e clientes de RESSA e Caixa Nova Galicia pela Brisa. Até agora, não experimentaram nenhum problema".

PUB

O Eixo considera que as concessionárias, por questões empresariais, "nunca manifestaram vontade de agilizar o cumprimento do acordo saído da Cimeira Ibérica, firmado entre o primeiro-ministro português e o presidente do Governo espanhol", em maio deste ano.

A associação pede ainda a algum utente que seja multado que entre em contacto com o Eixo que ajudará em qualquer reclamação, estando disponível mesmo para recorrer aos tribunais.

Na quarta-feira, contactada pela agência Lusa, fonte da Via Verde confirmou que "decorrem" nesta altura "testes operacionais" nos sistemas de pagamento eletrónico de portagens, mas sem adiantar prazos para o alargamento do sistema a todos os utilizadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG