Banco de Portugal

Constâncio defende mais medidas de austeridade para baixar défice

Constâncio defende mais medidas de austeridade para baixar défice

O ainda governador do Banco de Portugal, Vitor Constâncio, diz que seria útil que o défice orçamental se reduzisse este ano um pouco mais do que o previsto.

"Disse ontem no meu discurso que Portugal tem que considerar tomar medidas que reforcem o Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), visto que a situação evoluiu e, nesse sentido, não podemos ignorar esses sinais", considerou Vitor Constâncio no final de uma cerimónia de condecoração do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, pelo Presidente da República, Cavaco Silva.

No entender do ainda presidente do BdP, "essa possibilidade [tomar medidas de austeridades adicionais] tem de ser ponderada e seria útil e desejável que acontecesse".

Vitor Constâncio, que se escusou a especificar que medidas deveriam ser tomadas em concreto, reiterou que "era desejável que houvesse a antecipação de mais medidas propostas para momentos posteriores e que se concentrassem agora nesta fase em que há uma situação de tensão nos mercados".

"Seria útil que, consequentemente, a redução do défice orçamental fosse este ano um pouco maior do que o previsto", concluiu.

Outras Notícias