Economia

Constâncio terá de esperar mais um mês

Constâncio terá de esperar mais um mês

A decisão sobre o vice-presidente do Banco Central Europeu foi adiada para 15 de Fevereiro. A competição subiu de tom. Vítor Constâncio e rivais seguem até ao próximo encontro do Eurogrupo, sem que se saiba quem irá fazer parte da equipa da supervisão financeira.

Os ministros das Finanças dos dezasseis países do Euro transferiram para o próximo mês a escolha do substituto do membro grego no Banco Central Europeu (BCE), que será o vice-presidente da instituição.

Os governadores dos bancos centrais de Portugal, Luxemburgo e Bélgica mantêm-se na corrida sem que seja evidente quem é o favorito. Nas últimas semanas, constava nos meios financeiros de Bruxelas que o candidato belga estaria mais interessado em substituir a representante austríaca na Comissão Executiva do BCE, no ano que vem, e por isso menos disponível para a vive-presidência. Segundo uma fonte comunitária, a audição parlamentar de Peter Praet agradou aos deputados europeus e o belga manteve-se na corrida.

A nomeação do número dois do BCE pode começar a delinear desde já a eleição do substituto de Jean-Claude Trichet, cujo mandato termina em Outubro do ano que vem. Existe um acordo não escrito de equilíbrio geográfico em que os dois lugares devem ser partilhados entre um país do norte e outro do sul.

Reconduzido, ontem, foi o primeiro-ministro do Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, que recebeu o apoio uníssono dos dezasseis ministros das Finanças da Zona Euro para seguir por mais dois anos e meio, à frente do Eurogrupo. Jucker ocupa a função há cinco anos.

Outras Notícias