Dinheiro

Crédito à habitação em novo máximo de cinco anos

Crédito à habitação em novo máximo de cinco anos

Depósitos de famílias crescem quase 5000 milhões em 5 meses.

O saldo de crédito à habitação subiu em maio para um novo recorde desde abril de 2016, registando um aumento de mais de 1600 milhões de euros desde o início deste ano.

O saldo do crédito hipotecário fixou-se em maio nos 96,7 mil milhões de euros, o que corresponde a uma subida de 374 milhões face ao mês de abril, segundo dados divulgados pelo Banco de Portugal (BdP).

O saldo de empréstimos para compra de casa soma um crescimento mensal consecutivo desde dezembro de 2019 por via de novo crédito concedido, mas também pelas moratórias no crédito que levam a que haja uma menor amortização dos empréstimos.

No total, o saldo de crédito a particulares subiu em maio para o valor mais alto de cinco anos e meio, ao fixar-se nos 122,2 mil milhões de euros.

Depósitos em alta

Ainda de acordo com o BdP, nunca os portugueses tiveram tanto dinheiro depositado nos bancos, cujo montante relativo a particulares cresceu quase 5000 milhões de euros desde o início de 2021, numa altura em que continuam a vigorar a maioria das moratórias no crédito que conferem uma folga no orçamento mensal das famílias.

PUB

"Os depósitos de particulares nos bancos residentes totalizaram 166,7 mil milhões de euros no final de maio". Trata-se de um novo recorde. São mais 4840 milhões do que o valor registado em dezembro de 2020.

Comparando com abril, a subida registada foi de 1200 milhões de euros.

Em termos homólogos, significa que os portugueses têm mais 11 500 milhões de euros depositados no banco do que há um ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG