O Jogo ao Vivo

Banca

Crédito Agrícola avança com moratórias de 12 meses para apoiar empresas e famílias

Crédito Agrícola avança com moratórias de 12 meses para apoiar empresas e famílias

O Crédito Agrícola vai permitir a carência de capital para créditos regulares por 12 meses para famílias e empresas devido à pandemia que atinge o país.

Devido ao atual estado de emergência o Crédito Agrícola diz que vai criar "um mecanismo de moratória para os créditos regulares para particulares e empresas que permite uma carência de capital ou prorrogação do termo do prazo de pagamento até 12 meses, cumulativos entre carência e prorrogação".

O instrumento abrange "operações de crédito à habitação, ao consumo e créditos ao investimento e tesouraria, para o caso das empresas", lê-se na nota divulgada.

Tal medida visa "mitigar os efeitos económicos e sociais" que o surto de Covid-19 está a provocar.

O banco diz ainda que vai lançar três linhas de crédito para apoiar particulares e empresas. Uma das linhas é dirigida aos empresários em nome individual tendo em vista o "pagamento de salários, encargos com a manutenção da atividade, pagamento a fornecedores, e com um montante máximo de financiamento até 100 mil euros".

Para as famílias, a entidade vai oferecer uma linha de crédito especial para "fazer face aos encargos que tendem a aumentar, seja por despesas de saúde, seja pela contingência de passar a ficar em casa, com as despesas acrescidas que daqui, naturalmente resultam e os rendimentos serem reduzidos".

A instituição junta-se assim à Caixa Geral de Depósitos, BPI e Santander, no rol das entidades que já tinham anunciado moratórias no pagamento de crédito para famílias e empresas.