Desemprego

Crise do emprego é tendência "com dez anos", diz ministro da Economia

Crise do emprego é tendência "com dez anos", diz ministro da Economia

Os números sobre o desemprego em Portugal, divulgados pelo Eurostat, são "muito preocupantes", e fazem parte de uma "tendência crescente" que começou há uma década, disse o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira.

"Já referi várias vezes que os números do desemprego são muito preocupantes. Tem havido uma tendência de crescimento nos últimos dez anos. É preciso relembrar que a crise não começou em 2008, nos últimos dez anos tivemos uma tendência crescente de desemprego e de emigração, e por isso é que é fundamental levar a cabo as reformas estruturais" que o Governo propõe, disse Álvaro Santos Pereira numa conferência de imprensa após a reunião do conselho de ministros.

Segundo números divulgados pelo Eurostat, a taxa de desemprego em Portugal atingiu os 14,8% em janeiro - a terceira mais alta da União Europeia. Embora as taxas não sejam rigorosamente comparáveis (o Eurostat usa uma metodologia diferente da do INE), este valor já está acima da previsão do Governo para o total deste ano, 14,5%.

O ministro da Economia notou que o desemprego subiu em toda a União Europeia, e mencionou as "políticas ativas de emprego" que o Executivo já tem em curso para combater este "flagelo social".

"Os portugueses podem esperar determinação total do governo para combater este que é o maior flagelo social que temos atualmente. Termos um casal com filhos no desemprego é inaceitável, ter famílias monoparentais no desemprego é inaceitável. Estamos a deixar as novas gerações para trás", disse o ministro da Economia e do Emprego.

"Tudo faremos para evitar que isso se passe. As políticas ativas de emprego que desenhámos são fundamentais para dar a volta aos números do desemprego", concluiu.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG