Economia

Das grandes fortunas só Amorim perde na bolsa

Das grandes fortunas só Amorim perde na bolsa

Os ricos ficaram ainda mais ricos no primeiro semestre. As grandes fortunas nacionais engordaram mais de 620 milhões de euros apenas à conta das participações que controlam em várias cotadas na bolsa.

Apesar de ter fechado o primeiro semestre com um saldo negativo, a valorização de mais de metade das ações do PSI 20 permitiram que Soares dos Santos e Belmiro de Azevedo ficassem com as suas carteiras ainda mais recheadas. Américo Amorim foi o único a ver a sua riqueza diminuir.

Contas feitas, as sete maiores fortunas em Portugal (as das fotos, mais Joe Berardo e António Mota) viram o seu valor conjunto aumentar em 621,14 milhões de euros (Meuro) em apenas seis meses. Se, no final do ano passado, valiam 10,99 mil milhões de euros, hoje estão avaliadas em 11,62 mil milhões. Este ganho é meramente potencial, uma vez que os milionários não venderam as participações. E também só foram contabilizadas as posições detidas pelas grandes fortunas nas cotadas no PSI 20.

PUB

Leia mais na versão e-paper ou na edição impressa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG