Dívida

Agência DBRS mantém Portugal com "rating" acima do "lixo"

Agência DBRS mantém Portugal com "rating" acima do "lixo"

A agência de notação financeira DBRS anunciou esta sexta-feira que manteve o "rating" atribuído a Portugal em "BBB" (baixo) e com perspetiva estável

A deliberação da DBRS era aguardada pelos mercados pelo impacto que uma revisão em baixa poderia ter na capacidade de financiamento de Portugal no exterior, porque a notação de investimento atribuída pelo menos por uma das maiores agências de notação financeira é exigida para que o Banco Central Europeu (BCE) continue a comprar dívida pública em Portugal e a financiar a banca nacional.

Mas a agência canadiana acabou por manter a nota que atribui a Portugal desde maio de 2014: "BBB" (baixo), o primeiro grau acima do chamado "lixo", confirmando também a perspetiva estável.

Em comunicado, o Ministério das Finanças afirma que "a decisão da DBRS de manter o 'rating' da dívida pública portuguesa demonstra a justeza do caminho desenhado pelo Governo para promover a recuperação económica".

Sublinhando que "a avaliação da DBRS sobre a economia portuguesa tem sido partilhada nos últimos dias em declarações públicas de reconhecimento do progresso realizado em Portugal, destacando-se as do presidente do Banco Central Europeu (BCE)", o ministério de Mário Centeno defende que "a consolidação orçamental num contexto de crescimento e coesão social é possível e desejável".

O presidente do BCE, Mario Draghi, afirmou na quinta-feira em Frankfurt que "Portugal fez progressos", mas que a economia continua vulnerável.

No entanto, as Finanças disseram também que "o crédito que hoje é dado ao esforço de trabalhadores e empresas em Portugal para colocar o país numa trajetória sustentável de crescimento deve ter tradução numa avaliação mais positiva".

O executivo reiterou que "o compromisso do país em honrar as suas responsabilidades é inalienável" e defendeu que as prioridades económicas e sociais inscritas no Programa de Governo e também refletidas na proposta de Orçamento do Estado para 2017 confirmam o "esforço de sustentabilidade sem paralelo na área do euro".

Outras Notícias