Economia

Deputado do PSD crítica "jogada" da CP

Deputado do PSD crítica "jogada" da CP

O deputado do PSD eleito pelo Alto Minho nas últimas legislativas, Carlos Abreu Amorim, criticou duramente a CP pela forma como conduziu o processo de supressão dos comboios internacionais com destino a Vigo, acusando a empresa de ter feito uma "jogada" nas negociações com a Renfe.

O deputado do PSD eleito pelo Alto Minho nas últimas legislativas, Carlos Abreu Amorim, criticou duramente a CP pela forma como conduziu o processo de supressão dos comboios internacionais com destino a Vigo, acusando a empresa portuguesa de ter feito uma "jogada" nas negociações com a Renfe, à revelia das populações, de autarcas e poder político.

"Se existia, e agora parece que isso é claro, um processo negocial, vamos dizer um braço-de-ferro, entre a CP e a Renfe, julgo que nesse braço-de-ferro fazer jogadas em que os interesses das populações são postos em causa, não me parece ser o melhor método, mas ainda bem que as coisas acabaram por se resolver a contento das populações", declarou, em Monção, à margem de uma conferência sobre a "Reforma da Administração Local".

"Espero que o facto de que esta negociação tenha chegado a um bom termo não signifique que o método se volte a repetir. Isto é, no decurso de um processo negocial se ponham em causa os interesses das populações, não se ouçam as autarquias, não se ouçam os representantes políticos e se passe à política do acto consumado", acrescentou.

Carlos Amorim comentava assim o facto de, após uma semana de protestos dos dois lados da fronteira, a CP ter anunciado que vai manter a ligação ferroviária internacional, depois da congénere Renfe ter acedido a suportar os custos do serviço em território espanhol, que, segundo notícia a agência Lusa, ascenderão a cerca de 450 mil euros por ano.

Outras Notícias