Nacional

Descontos de 50% nas ex-SCUT abaixo da previsão

Descontos de 50% nas ex-SCUT abaixo da previsão

Redução das tarifas custou um total de 53,4 milhões de euros em 2021. A25, que liga Aveiro a Vilar Formoso, foi a concessão que deu mais benefícios,

Desde 1 de julho de 2021 que há nove antigas autoestradas sem custos para o utilizador com descontos de 50% nas tarifas face ao valor original. Até dezembro, a medida custou ao Estado cerca de 42 milhões de euros.

O valor, contudo, ficou abaixo das previsões do Governo (80 milhões de euros) e dos técnicos que apoiam os deputados em matéria orçamental (UTAO) - entre 64,4 milhões e 82,1 milhões de euros.

A medida beneficiou a A17, A22, A23, A24, A25, A28, A29, A41 e A42) - e ainda a ligação da A4 entre Sendim e em Águas Santas.

O maior montante de descontos para esta medida foi atribuído na concessão da Costa da Prata. Um total de 7,74 milhões de euros foi gasto para reduzir as tarifas na A17, parte da A25 e da A29, segundo dados solitados pelo JN/DV à Infraestruturas de Portugal.

A medida que entrou em vigor em julho também contemplava a redução de 75% para viagens realizadas com carros elétricos. Oito meses depois, contudo, não se sabe quando os donos dos carros sem emissões terão esse benefício.

Também em julho, foi introduzido outro sistema de redução de preços nos troços da A4 do Túnel do Marão e Vila Real-Bragança; na A13, entre Atalaia e Coimbra Sul; e ainda na A13-1.

PUB

Total de 53 milhões

Os veículos de transporte de passageiros e de mercadorias das classes 2, 3 e 4 ficaram com uma redução de preço suplementar nesses troços: 35% nas viagens entre as 8 e as 19.59 horas ; 55% de desconto entre as 20 e as 7.59 horas do dia seguinte e aos fins de semana e feriados.

No túnel do Marão e entre Vila Real e Bragança foi aplicado um desconto de 15% sobre todos os automóveis de todas as classes, independentemente do número de passagens.

Graças às medidas introduzidas no ano passado, a despesa total com descontos nas ex-SCUT disparou quase 700%: de 7,7 milhões, em 2020, para 53,4 milhões de euros, em 2021.

A receita potencial destas autoestradas foi inferior em 1,88%, para 266,77 milhões de euros - o que compara com 271,87 milhões de euros em 2020.

No último ano antes da pandemia (2019), os automobilistas tinham beneficiado de 8,06 milhões de euros na redução das taxas de portagem.

Para o crescimento dos descontos também contribuiu a medida proposta pelo Governo para as ex-SCUT.

Entre 11 de janeiro e 30 de junho de 2021, foram atribuídos descontos de 25% no preço das portagens para os veículos das classes 1 e 2 a partir do oitavo dia de viagem. O impacto nas contas foi de 2,1 milhões de euros.

Somadas as medidas do primeiro e segundo semestres, a autoestrada que liga Aveiro a Vilar Formoso (A25) proporcionou a maior redução de descontos, no total de 8,97 milhões de euros, praticamente o triplo face a 2020.

A autoestrada da concessão Beiras Litoral e Alta foi também a travessia mais rentável, com 40,3 milhões de receita potencial.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG