Economia

Despesa aumenta 2% e receita sobe 7,3% até março

Despesa aumenta 2% e receita sobe 7,3% até março

A despesa da administração central aumentou 2% até março face ao período homólogo, devido ao aumento das transferências e dos juros, ao passo que a receita subiu 7,3%, devido sobretudo ao crescimento da receita fiscal.

De acordo com a síntese de execução orçamental de março, publicada esta quarta-feira pela Direção-Geral do Orçamento (DGO), a despesa acumulada com juros e outros encargos da administração central aumentou 18,9%, sendo que, dentro desta rubrica, o que mais pesou foram os juros e encargos da dívida pública, que subiram 41,9% no primeiro trimestre.

A DGO justifica esta evolução dos juros e encargos da dívida pública com o aumento da rubrica Obrigações do Tesouro (OT), uma vez que foram realizadas operações de recompra deste tipo de instrumento de dívida em março.

Já a despesa com transferências aumentou 3,4% até março, uma evolução que se deveu essencialmente às transferências para a segurança social (+6,4%) e para a administração local (+16,5%).

A receita, por seu lado, apresentou um acréscimo de 7,3% nos três primeiros meses do ano face ao período homólogo, um desempenho que se deveu sobretudo à receita fiscal da administração central, que cresceu 4,3%.

No primeiro trimestre de 2014, o Estado arrecadou 8.463,2 milhões de euros em impostos, o que representa um aumento de 366,8 milhões de euros face ao montante cobrado em igual período de 2013.

Esta evolução deveu-se principalmente aos impostos diretos, que aumentaram 7,8% nos três primeiros meses do ano e, em menor grau, aos indiretos, que subiram 2,2% até março, em termos homólogos.