EUA

Amazon despediu sete grávidas. Agora chegam os processos

Amazon despediu sete grávidas. Agora chegam os processos

Uma reportagem do site CNET conta histórias de mulheres grávidas, despedidas pelo gigante tecnológico e do retalho, algo que "demonstra um padrão".

A reportagem do site de tecnologia CNET conseguiu analisar sete processos movidos contra a Amazon por trabalhadoras dos seus armazéns por terem sido demitidas quando estavam grávidas. As ocorrências começaram há oito anos e da acusação há também a indicação de que a empresa não quis compreender as suas necessidades, incluindo pedidos para poderem estar mais tempo na casa de banho e menos horas contínuas em pé.

Em todos os casos reportados, as mulheres foram demitidas após informarem os seus gerentes de que estavam grávidas. Seis dos casos já foram resolvidos fora do tribunal. Os casos alimentam a perceção, indica a CNET, de que a Amazon criou condições difíceis para as mulheres grávidas e que as acabou por despedir devido a esse facto.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia