Em Atualização

Cofina deverá comprar TVI com Abanca e Mário Ferreira

Cofina deverá comprar TVI com Abanca e Mário Ferreira

Negócio deverá estar fechado na próxima quarta-feira, diz o Expresso. Compra da Media Capital deverá rondar os 225 milhões de euros.

A Cofina deverá fechar a compra da TVI para a semana e com o grupo dono do Correio da Manhã vai o empresário Mário Ferreira e o banco Abanca. O negócio deverá ser fechado por cerca de 225 milhões de euros, menos dívida, e passa por um aumento de capital na Cofina, avançou o Expresso.

A concretizar-se o negócio por este montante, o valor é substancialmente abaixo dos 440 milhões oferecidos pela Altice para a compra do grupo Media Capital.

Os bancos Santander e o Société Générale serão os financiadores desta operação, que passará ainda por um aumento de capital no grupo Cofina a rondar os 80 milhões, através do qual irão entrar dois novos acionistas no grupo dono da CMTV: o banco espanhol Abanca e o empresário Mário Ferreira.

A 14 de agosto a Cofina confirmou estar em negociações exclusivas com a Prisa para a compra da Media Capital, tendo os dois grupos 30 dias para fechar um acordo, prazo que poderia ser prolongado pelas partes.

O mesmo deverá ficar concluído já na quarta-feira. Para financiar esta operação, Paulo Fernandes deverá aumentar a sua posição na Cofina, através de um investimento de mais de 20 milhões, valor semelhante ao que irá avançar Mário Ferreira, diz o semanário Expresso. Os outros acionistas da Cofina deverão participar no aumento de capital, mas verão a sua posição diluída. Paulo Fernandes, Mário Ferreira e Abanca deverão controlar a Cofina, passando a deter 51% do grupo.

O Abanca - dono da rede do Deutsche Bank em Portugal e, recentemente, obteve luz verde do Banco Central Europeu (BCE) para Banco Caixa Geral, o banco que a CGD tem em Espanha - é acionista minoritário da Media Capital (5,05%), grupo controlado pela Prisa, com 94,69%.

Na Cofina a Promendo de Ana Mendonça é, com 19,98%, o maior acionista, seguindo-se a Caderno Azul, de João Borges de Oliveira (15,01%) a Actium Capital, de Paulo Fernandes (13,88%), a Livrefluxo, de Domingos Oliveira de Matos (12,09%) e a Valor Autêntico, de Pedro Borges de Oliveira (10,02%). O Crédit Suisse (4,91%) e o Santander (2,12%) também são acionistas.

Relacionadas

Outros Artigos Recomendados