Dinheiro Vivo

Greve CTT. Empresa aponta para 17,2% de adesão

Greve CTT. Empresa aponta para 17,2% de adesão

No turno da noite, os sindicatos apontavam para uma adesão à greve dos trabalhadores na ordem de 80%

A greve nos CTT terá tido 17,2% de adesão, segundo dados acabados de divulgar pelo operador postal. A greve decorre quinta e sexta-feira e abrange toda a rede postal da companhia. Os trabalhadores querem melhores condições e pedem que a companhia deixe de ser privada. A greve decorre poucos dias depois da empresa ter anunciado um plano de reestruturação que vai levar à saída de 800 pessoas em três anos, a juntar aos 200 previstos ainda este ano.

Os CTT informam que, tendo procedido ao registo no sistema de processamento de ordenados dos trabalhadores aderentes à greve, apurou uma taxa efetiva de adesão de apenas 17,2%", informa a empresa em nota enviada às redações. "A distribuição postal continua, portanto, a ser prestada durante o dia de hoje, não tendo esta paralisação cumprido o seu objetivo de interromper o serviço aos clientes", reforça.

Os números da companhia contrastem fortemente com os adiantados à meia noite, que apontavam para 80% de adesão à greve no início do turno da noite. "Quando se iniciou o turno da noite a adesão estava em 80% nas três centrais de correio: Lisboa, Porto e Coimbra. As perspetivas para os turnos da manhã são boas. Só vamos ter dados mais tarde, porque temos de verificar cerca de 900 locais de trabalho", disse Vítor Narciso, do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT), em declarações à Lusa.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia