Tecnologia

Novos iPhone: Apple aposta no maior ecrã de sempre

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

 foto REUTERS

"Hoje vamos levar o iPhone X para outro nível", começa por dizer Tim Cook no início da apresentação do novo iPhone, esta quarta-feira, antes de passar a palavra ao responsável pela habitual dos iPhone.

Já há poucas surpresas, depois de tantos leaks e rumores. O primeiro a ser apresentado foi o iPhone Xs, que tem 5,8 polegadas, mas quando comparado com o iPhone 8 Plus parece bem mais compacto. A "surpresa" (que pouco o é) vai para o iPhone X Max, com um ecrã OLED de 6,5 polegadas, Super Retina, que graças à reduzida moldura do iPhone parece ainda maior do que é. A partir de agora, este é o maior iPhone da linha de smartphones da Apple.

A marca aumentou a certificação de resistência à água, passando agora para a IP68, que na prática permite ter o telefone submerso durante dois minutos, refere a marca. Face ID tem um algoritmo agora mais rápido, para poder desbloquear o telefone mais depressa. A Apple é ambiciosa, diz que este é o "sistema de autenticação facial mais seguro de qualquer smartphone".

O novo processador chama-se A12 Bionic, com a Apple a explicar que tem 6,9 mil milhões de transístores. O discurso é o habitual: a evolução permitirá otimizar a bateria do iPhone, tendo sido desenhado de propósito para os novos terminais. Segundo a Apple, quando é conjugado com o novo iOS, o 12, permitirá navegar pelas aplicações até "30% mais depressa".

A nova geração de motor neuronal incluída neste processador tira partido de machine learning, que, segundo a marca, otimizará a experiência dos animojis e também as imagens tiradas com a câmara do iPhone.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Relacionadas