Rating

Moody"s diz que risco de novo resgate é "baixo"

Moody"s diz que risco de novo resgate é "baixo"

A posição da agência face ao novo resgate surge depois de Mário Centeno ter referido que a sua "principal tarefa" é evitar um segundo resgate

A agência de rating Moody"s considera que o risco de Portugal recorrer a um segundo resgate é "baixo", realçando a atual "posição de financiamento confortável" com que o governo conta. Apesar de admitir que este "risco não pode ser totalmente descartado", a Moody"s acredita que tal não ocorrerá em nenhum momento próximo.

"Apesar das preocupações que já manifestámos em relação ao enquadramento orçamental, esperamos que o governo português consiga trazer o défice para menos de 3% e estabilizá-lo dentro destes níveis", aponta a agência, que recorda aos mais distraídos que caso o país consiga estabilizar o défice abaixo dos 3% então estará a registar "performances bem mais positivas que vários outros Estados da zona euro". "Será uma melhor performance que as historicamente obtidas por Portugal, com o saldo primário a registar excedentes sustentáveis de quase 2% do produto interno bruto", realça a agência. Mas esta também assume que Portugal irá continuar a falhar as suas metas orçamentais, algo que todavia não coloca em risco o défice abaixo dos 3%. "Apesar de esperarmos que as metas orçamentais continuem a ser falhadas, o défice orçamental vai muito provavelmente estabilizar abaixo dos 3% do PIB."

A Moody"s publicou esta segunda-feira um conjunto de perguntas e respostas sobre a situação portuguesa, depois de na última semana ter decidido manter o rating do país.

Outras Notícias