Economia

Todas as idades são boas para se ser voluntário

Todas as idades são boas para se ser voluntário

Três em cada quatro crianças acreditam que qualquer idade é boa para se ser voluntário. E, entre os mais novos, as atividades ligadas à natureza e ambiente ou o trabalho dos bombeiros estão no topo das prioridades. Estas são conclusões de um inquérito feito pela Pista Mágica e pela Asserbiz a 146 crianças, com idades compreendidas entre os 3 e os 13 anos, na semana de 30 de novembro a 8 de dezembro do ano passado.

Aproveitando o Mega Fun Day, na Exponor, em Matosinhos, o inquérito perguntou às crianças qual era o voluntário mais "fixe" e registou um empate: um terço diz que são os bombeiros; outro terço fala das pessoas que plantam árvores. Os restantes mencionaram quem dá comida na rua ou faz companhia a idosos.

Apesar disso, mais de metade das crianças fará uma opção diferente, se abraçar o voluntariado: ajudar animais. Em segundo lugar (um em cada cinco) gostariam de colaborar em áreas ligadas ao ambiente, nomeadamente limpando florestas e rios; 13% identificam-se com o Banco Alimentar.

A Asserbiz também inquiriu 108 adultos, com idades compreendidas entre os 18 e 58 anos, a larga maioria dos quais encarregados de educação da criança inquirida, do sexo feminino. Só cerca de um terço já tinha feito voluntariado mas, para 73% dessas pessoas, a experiência foi positiva. O inquérito notou, ainda, que só um em cada cinco levou o filho na ação de voluntariado.

Para envolver as crianças, os pais querem instituir regras, como estarem acompanhadas por um adulto, a escolha cuidada do tipo de atividades apropriadas a crianças e a definição do tempo máximo de horas a dedicar ao voluntariado. Só 1,4% dos adultos diz que as crianças não devem ser voluntárias.

Quanto às opções dos adultos, 26% optaram por ajudar o Banco Alimentar. Com quase o mesmo peso surgem atividades como trabalhar com animais, limpar florestas e rios ou acompanhar idosos sozinhos ou pessoas internadas em hospitais.

ver mais vídeos