Economia

Contabilista do BES fala à porta fechada

Contabilista do BES fala à porta fechada

O contabilista do Grupo Espírito Santo, Francisco Machado da Cruz, cuja audição está agendada para a próxima quinta-feira à tarde na Assembleia da República, vai falar aos deputados à porta fechada. O requerimento do contabilista, alegando a condição de arguido, foi votado esta terça-feira à noite, no final dos trabalhos da comissão parlamentar de inquérito ao caso BES/GES.

Também o controller financeiro do grupo, José Castella, que presta depoimento esta quarta-feira à tarde na comissão de inquérito, pediu para ser ouvido à porta fechada, invocando a mesma condição, pedido que foi aceite pelos deputados, apurou o JN junto de fontes parlamentares.

A audição do contabilista Machado da Cruz é uma das mais aguardadas desta semana na comissão, visto que ele tem sido responsabilizado pelo presidente do BES, Ricardo Salgado, pela ocultação de 1,3 mil milhões de euros de prejuízos na Espírito Santo Internacional (ESI), que contribuiu para a queda do Grupo Espírito Santo e para a medida de resolução aplicada ao Banco.

Foi o próprio contabilista a contactar o presidente da comissão , Fernando Negrão, disponibilizando-se para ser ouvido no Parlamento, mas só esta terça-feira se soube que o pediu para fazer à porta fechada.

Esta é segunda vez que este tipo de pedido é feito, depois de o presidente da KPMG Angola o ter feito, alegando que tinha sido apenas convocado na condição de presidente da KPMG Portugal.

Outros Artigos Recomendados