Parlamento

Granadeiro e Bava sabiam de investimentos da PT no GES

Granadeiro e Bava sabiam de investimentos da PT no GES

O relatório preliminar da comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo indica que os antigos presidentes da Portugal Telecom Henrique Granadeiro e Zeinal Bava sabiam dos investimentos da operadora no GES.

"A análise efetuada às operações de financiamento da Espírito Santo International (ESI) e da Rioforte pela PT aponta para que a sua concretização tenha envolvido responsabilidades e fosse do conhecimento, ainda com graus variáveis de detalhe, de Henrique Granadeiro, Zeinal Bava, Luís Pacheco de Melo, Carlos Cruz, Ricardo Salgado, Amílcar Morais Pires e Joaquim Goes", refere o relatório preliminar da comissão de inquérito.

O texto foi escrito pelo deputado relator Pedro Saraiva, do PSD, que está esta quinta-feira no parlamento a apresentar o documento junto dos deputados da comissão de inquérito.

Os valores dos investimentos da PT no GES foram definidos pelo relator como "atípicos, quer em dimensão quer pelo peso relativo que representam", num total de exposição máxima de 4,992 milhões de euros, lembrou.

Até dia 23, serão apresentadas as propostas de alteração dos partidos ao relatório preliminar e no dia 29 de abril o texto final terá de estar pronto.

A comissão foi proposta pelo PCP - e aprovada por unanimidade dos partidos - e teve a primeira audição a 17 de novembro do ano passado, tendo sido escutadas dezenas de personalidades, entre membros da família Espírito Santo, gestores das empresas do grupo, reguladores, supervisores, auditores e agentes políticos, entre outros.

O objetivo do trabalho dos parlamentares é "apurar as práticas da anterior gestão do BES, o papel dos auditores externos e as relações entre o BES e o conjunto de entidades integrantes do universo do GES, designadamente os métodos e veículos utilizados pelo BES para financiar essas entidades".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG