Comissão de inquérito BES

Maria Luís reconhece que resolução do BES tem risco de litigância "elevadíssimo"

Maria Luís reconhece que resolução do BES tem risco de litigância "elevadíssimo"

A ministra das Finanças reconheceu, esta quarta-feira, que a resolução do BES "é uma decisão que tem um risco de litigância elevadíssimo" e, por isso, vê "com preocupação" as declarações do presidente do PS sobre o pagamento aos clientes lesados do papel comercial.

"Precisamente por haver um risco de litigância elevado é que tudo tem que ser feito dentro da legalidade", disse Maria Luís Albuquerque, repudiando as declarações feitas pelo presidente do PS, Carlos César, na segunda-feira à noite na RTP.N, e que já foram entretanto corrigidas.

No início da audição, esta tarde, a ministra das Finanças quis deixar claro que o Governo não vai interferir no assunto do papel comercial. "É fundamental que qualquer decisão tomada o seja no total respeito pela legalidade, pelos riscos que implica, nomeadamente pela hierarquia de credores que decorre da resolução", disse.

Mais tarde, acabou por revelar que, neste momento, há já várias ações em tribunal contra a resolução: duas ações contra o Estado, duas ações contra a Direção Geral da Concorrência e três ações contra o Banco de Portugal.

Após as críticas da ministra das Finanças às declarações de Carlos César, Pedro Nuno Santos, coordenador dos deputados do PS na comissão, fez uma interpelação à mesa. E lembrou que o presidente do PS já "clarificou" as suas declarações, depois das críticas que lhe foram feitas pela maioria PSD/CDS-PP. "O presidente do PS não defende nada mais do que o presidente da CMVM ontem aqui disse", que seria que a provisão prevista no BES para o reembolso do papel comercial passou para o Novo Banco, a quem competiria ressarcir esses clientes.