Economia

Ministra lamenta "se as pessoas foram induzidas em erro" no caso GES

Ministra lamenta "se as pessoas foram induzidas em erro" no caso GES

A ministra das Finanças disse, esta quarta-feira, na comissão parlamentar de inquérito ao caso BES/GES, que "o Governo não tomará posição sobre a questão do papel comercial" do GES.

O caso tem motivado várias manifestações de protesto por parte de clientes lesados, mas a ministra disse "lamentar" que alguns destes clientes possam ter sido "induzidos em erro".

"Acho lamentável se as pessoas foram induzidas em erro e haverá que perceber se o Banco de Portugal não cumpriu os seus deveres de informação", disse Maria Luís Albuquerque, em resposta à deputada do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua, que a confrontou com emails enviados pelo Banco de Portugal (BdP) a clientes, após a decisão da resolução, garantindo que a provisão para o reembolso desse papel comercial passaria para o Novo Banco.

A deputada quis saber se será feita uma autoavaliação desses procedimentos e se haverá consequências dessa avaliação, por entender que foi prestada informação "enganadora" e que gerou expetativas junto dos clientes.

"Sei que o BdP encomendou uma auditoria externa e independente à sua atuação ao longo de todo o processo. Aguardaremos pelas conclusões dessa auditoria", disse a ministra das Finanças.

Sobre a questão do reembolso do papel comercial, a ministra foi clara. "É fundamental que qualquer decisão tomada o seja pelo total respeito pela legalidade, pelos riscos que implica se não houver respeito absoluto pela legalidade, nomeadamente pela hierarquia de credores que decorre da resolução", disse, garantindo que o Governo não se irá imiscuir neste assunto.

Esta é a segunda vez que a ministra das Finanças é ouvida na comissão parlamentar de inquérito ao caso BES/ GEs e, tudo indica, será a última audição no âmbito destes trabalhos. Os deputados deverão agora dedicar-se à produção do relatório final, que deverá ser aprovado até 20 de abril, de acordo com a calendarização definida.