BES

Muitos "lamberam botas" a Salgado e agora estão contra ex-líder do BES

Muitos "lamberam botas" a Salgado e agora estão contra ex-líder do BES

O revisor de contas do GES José Manuel Macedo Pereira diz que recusou integrar a auditoria ao BES para manter a "relação pessoal" com Ricardo Salgado e após assistir a várias pessoas a "lamber as botas" ao ex-presidente do banco.

José Manuel Macedo Pereira está a ser ouvido, esta terça-feira de manhã na comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do GES, na qual revelou que recusou fazer parte da auditoria ao banco, "apesar do salário substancial", por "não ser daqueles que entra mudo e sai calado".

Por outro lado, o revisor oficial de contas disse que essa era "belíssima forma de cortar com favores" e de "manter a relação pessoal" com Ricardo Salgado, ex-presidente executivo do BES.

Questionado pelo deputado do PSD Pedro Saraiva sobre porque é que "se zangaria com Ricardo Salgado" caso integrasse a auditoria ao banco, Macedo Pereira recordou "situações constrangedoras" de várias pessoas.

"Quando os vi lamber as botas ao Dr. Ricardo Salgado, que vi muitas vezes, quis sempre preservar a relação de amizade com o Dr. Ricardo Salgado", afirmou o revisor oficial de contas do GES, sustentando que muitas dessas pessoas são das que, agora, "batem em que está no chão".

A comissão de inquérito arrancou a 17 de novembro passado e tem um prazo total de 120 dias, que pode eventualmente ser alargado.

A suspensão dos trabalhos da comissão por altura da época de Natal e Ano Novo levou a que a contagem dos 120 dias fosse interrompida.

Os trabalhos dos parlamentares têm por intuito "apurar as práticas da anterior gestão do BES, o papel dos auditores externos, e as relações entre o BES e o conjunto de entidades integrantes do universo do GES, designadamente os métodos e veículos utilizados pelo BES para financiar essas entidades".