Economia

Oposição desafia Cavaco e envia-lhe perguntas sobre o BES

Oposição desafia Cavaco e envia-lhe perguntas sobre o BES

PS, PCP e o BE anunciaram, esta quinta-feira à tarde, no Parlamento que tencionam enviar perguntas ao Presidente da República, para que esclareça qual o seu envolvimento neste processo. Os requerimentos têm, contudo, de ser aprovados em reunião de coordenadores e surgem depois de Ricardo Salgado ter enviado, hoje, uma carta à comissão de inquérito a dizer que reuniu duas vezes com Cavaco alertando-o para os "riscos sistémicos" da situação do GES e do BES .

Qual o teor das duas conversas entre Ricardo Salgado e o Presidente da República, Cavaco Silva; que tipo de apoio lhe foi solicitado pelo presidente do BES e do GES;, se houve contactos com membros do Governo e reguladores no sentido de acompanhar a situação financeira do grupo; e se foram efetuadas por Cavaco algumas diligências em relação ao cancelamento da garantia soberana de Angola ao BESA: estas são, grosso modo, as quatro perguntas que o Bloco de Esquerda pretende fazer ao presidente da República, desafiando-o mesmo à "presença formal" na comissão.

O requerimento do Bloco de Esquerda foi entregue, esta quinta-feira à tarde, ao presidente da comissão parlamentar de inquérito ao caso BES/GES. O PCP e o PS, por seu lado, fizeram uma declaração aos jornalistas anunciando que também pretendem enviar perguntas ao Presidente da República. O PCP decidiu também pedir, com urgência, o agendamento da audição do vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, na comissão parlamentar de inquérito, cuja audição está prevista desde o início dos trabalhos (foi pedida pela maioria PSD/CDS-PP, PS e PCP), mas tinha ainda agendada.

Hoje, pela missiva enviada à comissão, parlamentar de inquérito pelo ex-líder do BES, ficou a saber-se que Ricardo Salgado também reuniu com o ministro Paulo Portas, no âmbito de duas rondas de reuniões que teve com vários responsáveis políticos, entre os quais o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, o primeiro-ministro e a ministra das Finanças, dando-lhes conta das dificuldades do grupo.

PSD e CDS ainda não disseram se admitem aprovar estes requerimentos. Ao JN, o deputado do PSD, Carlos Abreu Amorim, disse que ainda não conhece os requerimentos nem os seus fundamentos pelo que "não há decisão" sobre se aprovam as perguntas da Oposição ao Presidente da República. Até agora, todos os requerimentos foram aprovados.