Os últimos 10 anos no Norte em números

Trabalhadores da Bosch mantêm comércio local

Trabalhadores da Bosch mantêm comércio local

Carlos Fontão chega a faturar 200 euros num dia a vender broa de Avintes.

"Milhares de pessoas entram e saem, todos os dias, a todas as horas, da fábrica, o que faz desta rua uma das mais movimentadas de Braga", afirmou Carlos Fontão, um dos vários comerciantes instalados no acesso à principal entrada e parque de estacionamento da Bosch Car Multimédia Portugal, uma das maiores exportadoras da Região Norte.

A empresa tem cerca de 2500 colaboradores, a maioria licenciados, que aproveitam a presença de vendedores no acesso à empresa e fazem as compras, logo ali, depois de terminado o trabalho. Todas as terças-feiras, na minifeira, vendedores de roupa, calçado, legumes e fruta não têm mãos a medir. Nos outros dias, há sempre alguém a vender pão, fruta, doces ou charcutaria.

Da banca de Carlos Fontão saem em média 50 broas de Avintes. "Temos encomendas de broa, de queques caseiros, mel, queijos e enchidos", referiu o homem de 48 anos, residente em Famalicão, que após vários anos desempregado decidiu criar uma pequena empresa para comercializar bens alimentares à porta das maiores empresas do distrito de Braga. "Nos dias bons, na Bosch, faturo entre os 150 e os 200 euros. Mas também há dias menos bons", explicou o comerciante que, por não poder montar uma tenda na rua legalmente , já perdeu a conta às vezes em que esteve doente por causa da chuva e do frio que apanhou na húmida cidade de Braga.

Pela sua dimensão, a Bosch está ligada aos mais variados setores e instituições. Um grupo de funcionários reúne-se informalmente ao fim de semana para restaurar casas de famílias carenciadas. Outro grupo organiza anualmente uma corrida solidária. Em parceria com a Universidade do Minho, está a decorrer o projeto Innovative Car HMI, uma ação que termina no próximo ano e tem um orçamento de 57,7 milhões de euros.

Pela Bosch estão a passar, em estágios ou formação, alunos de Engenharia Eletrónica, Industrial, Mecânica, Polímeros e Informática, bem como de Psicologia e da escola de Ciências Sociais. Até 2018, está prevista a apresentação e registo de 22 novas patentes, a contratação de 90 engenheiros da universidade minhota e a entrega de 170 bolsas de investigação. Mais de 550 licenciados, ligados à Universidade do Minho, estão atualmente a trabalhar em parcerias entre as duas entidades.

Também a Câmara de Braga vê na Bosch um parceiro contra o desemprego. Através do programa Skills Lab, vinte jovens estão a estagiar na empresa de desenvolvimento e soluções para equipamentos automóveis.

Os últimos 10 anos no Norte em números