O Jogo ao Vivo

Aviação

easyJet retoma voos de Genebra a Lisboa e Porto em junho

easyJet retoma voos de Genebra a Lisboa e Porto em junho

A easyJet retoma a partir de 15 de junho "um pequeno número de voos, principalmente domésticos", em 20 aeroportos europeus, entre os quais na rota entre Genebra e as cidades de Lisboa e Porto.

Em comunicado, a companhia aérea de baixo custo adianta que as rotas a retomar a partir de meados do próximo mês - após a paragem determinada pela pandemia de covid-19 - serão operadas a partir de Gatwick, Belfast, Glasgow, Edimburgo, Liverpool, Ilha de Man, Inverness, Bristol, Newcastle e Birmingham, no Reino Unido.

"Adicionalmente, também serão retomados os voos em França desde Nice, Paris Charles de Gaulle, Toulouse, Bordéus, Nantes e Lille, além de operações desde Genebra, na Suíça, para Barcelona, Porto e Lisboa, e desde Milão, em Itália", refere.

Inicialmente apenas focada na reativação de voos domésticos e de algumas rotas internacionais, a easyJet "espera aumentar o número de voos à medida que a procura dos clientes começar a aumentar e as restrições diminuírem".

"Durante o período de confinamento, a frota ficou em terra, mas os aviões foram mantidos em condições de recomeçarem a voar assim que a companhia determinasse que havia condições para tal", assegura.

Os voos a retomar em junho estarão sujeitos a "novas medidas de biossegurança", incluindo a "limpeza e desinfeção rigorosa" dos aviões, a obrigação de uso de máscara para passageiros e tripulação e a ausência de serviço de alimentação a bordo dos voos.

Citado no comunicado, o presidente executivo (CEO) da easyJet, Johan Lundgren, afirma que estas medidas permanecerão em vigor "pelo tempo necessário para garantir que os clientes e a tripulação possam voar com segurança, enquanto o mundo continua a recuperar-se do impacto da pandemia".

"Continuaremos a avaliar de perto a situação na Europa, para que, quando forem levantadas mais restrições, o plano de voos continue a aumentar ao longo do tempo para atender à procura e, ao mesmo tempo, garantir que estamos a operar com eficiência e em rotas que os nossos clientes desejam", acrescenta.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 325 mil mortos e infetou quase cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,8 milhões de doentes foram considerados curados.