Economia

Economista americano diz que euro "não é bom para a paz"

Economista americano diz que euro "não é bom para a paz"

O euro divide os europeus e "não é bom para a paz", afirmou hoje o norte-americano Joseph Stiglitz, prémio Nobel da Economia, numa entrevista ao jornal financeiro Handelsblatt.

"Todos os observadores externos concordam que o euro e as políticas destinadas a salvar o euro dividem os europeus neste momento. Trata-se de divisões entre Estados, mas também no interior dos próprios Estados, onde os movimentos extremistas e nacionalistas se tornam cada vez mais fortes. Isto não é bom para a paz. No geral, o euro foi contraproducente", declarou Stiglitz.

"A situação atual é instável e levará a mais, ou a menos, integração. É possível que os fundadores tivessem razão [ao criar a moeda única], mas imaginaram certamente que se evoluiria naturalmente para uma união política, e não uma união forçada para evitar um desastre", acrescentou o economista neo-keynesiano, que foi galardoado com o Nobel da Economia em 2001.

Joseph Stiglitz saudou, no entanto, a atribuição do prémio Nobel da Paz à União Europeia, na passada sexta-feira.

"A União Europeia foi criada como um projeto de paz e assegura a paz na Europa. Por isso, merece o prémio", declarou.

Mas "a União Europeia não é a mesma coisa que a zona euro", salientou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG