Governo

Edite Estrela acusa Governo de "dar o dito por não dito" sobre TGV

Edite Estrela acusa Governo de "dar o dito por não dito" sobre TGV

A eurodeputada socialista Edite Estrela acusou, esta quarta-feira, o Governo de estar a "dar o dito por não dito" relativamente à alta velocidade ferroviária e defendeu a necessidade de o executivo esclarecer se é contra ou a favor do projeto.

"Fiquei estupefacta com as declarações dos ministérios das Finanças e da Economia", afirmou Edite Estrela em declarações à Lusa, acrescentando que o "Governo está a dar o dito por não dito" no que respeita ao projeto português de alta velocidade ferroviária.

A eurodeputada falava à Lusa depois de, na terça-feira, o Ministério da Economia ter esclarecido que não está previsto retomar o projeto de alta velocidade até 2015 e de as Finanças terem informado que salvaguardaram financiamento comunitário para a ligação entre Lisboa e Madrid.

"É preciso perguntar ao Governo se, afinal, é contra ou a favor do TGV", afirmou Edite Estrela, defendendo a necessidade de o executivo clarificar qual é o projeto que será concretizado.

"Perante tantos ziguezagues, é preciso que o Governo clarifique qual é o projeto, qual é a bitola (distância entre carris) - se é europeia ou ibérica -, se é para passageiros ou para mercadorias, quais são os montantes, quais são os prazos para a execução e quais são as verbas que se se perderam", argumentou.

Na terça-feira, o ministério da Economia afirmou, em comunicado, que "não está previsto para o período da atual legislatura qualquer iniciativa por parte do Governo para que o projeto de alta velocidade seja retomado", ou seja, até 2015.

"O Governo português, tal como estabelecido no Plano Estratégico de Transportes 2011-2015, reitera o seu objetivo de investir numa rede de caminho-de-ferro, em bitola europeia, para transporte de mercadorias do porto de Sines para o resto da Europa, aproveitando o pacote de fundos comunitários que garante uma elevada taxa de comparticipação", disse o ministério tutelado por Álvaro Santos Pereira.

O comunicado do Ministério da Economia foi divulgado depois de, num esclarecimento prestado à TVI, as Finanças terem dito que a reformulação do projeto de ligação ferroviária entre Lisboa e Madrid recebeu parecer favorável de Bruxelas e que foi possível acautelar o financiamento comunitário.

"O Governo Português conseguiu salvaguardar o financiamento comunitário do projeto Lisboa-Madrid, ao mesmo tempo que conseguiu aumentar de forma significativa as taxas de comparticipação comunitária, reduzindo assim o esforço financeiro para o Orçamento do Estado português", segundo o esclarecimento publicado na página da estação televisiva.

Em maio do ano passado, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou que os governos de Portugal e Espanha não quiseram fixar uma data precisa para a conclusão da ligação ferroviária em bitola europeia entre os dois países devido à "incerteza orçamental".