Aviação

Estas são as 115 companhias aéreas na lista negra da União Europeia

Estas são as 115 companhias aéreas na lista negra da União Europeia

Companhias aéreas de Angola, São Tomé e Príncipe, Guiné Equatorial e Venezuela integram a "lista negra" das 115 transportadoras proibidas de voar para a União Europeia (UE), esta segunda-feira divulgada, em Bruxelas.

Do total, seis integram a lista a título individual, por razões que devem a problemas de segurança das próprias transportadoras aéreas, como a Avior Alirlines, da Venezuela, e as outras 109 - certificadas em 15 países - por controlo insuficiente pelas respetivas autoridades nacionais.

A lista inclui sete companhias aéreas de Angola, sendo que apenas a TAAG e a Heli Malongo estão excluídas da lista, todas as de São Tomé e Príncipe e também todas as registadas na Guiné Equatorial.

Lista completa:

109 companhias áreas certificadas em 15 países, devido a problemas de supervisão das autoridades de aviação - Afeganistão, Angola (com a exceção de duas), Repúblicas do Congo, República Democrática do Congo, Guiné Equatorial, Eitreia, Quirguistão, Libéria, Líbia, Moldávia (com a exceção de três companhias), Nepal, São Tomé e Príncipe, Serra Leoa e Sudão

Seis companhias a título individual, com base em problemas de segurança: Avior Airlines (Venezuela), Iran Aseman Airlines (Irão), Iraqi Airways (Iraque), Blue Wing Airlines (Suriname), Med-View Airlines (Nigéria) and Air Zimbabwe (Zimbabué).

Três companhias que podem voar em espaço europeu, mas que têm restrições operacionais e podem apenas usar alguns tipos de aviões: Air Koryo (Coreia do Norte), Air Service Comores (União das Comores) e Iran Air (Irão).

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG