Economia

Europa não está a trabalhar num "plano B" para Portugal

Europa não está a trabalhar num "plano B" para Portugal

A Europa não está a trabalhar num plano alternativo para providenciar o apoio financeiro pedido por Portugal caso o novo Governo da Finlândia bloqueie o pacote, afirmou, quarta-feira, o comissário europeu Olli Rehn.

"Não está a ser desenhado um 'plano B'", afirmou o comissário europeu dos Assuntos Económicos e Monetários, em Helsínquia, citado pela Bloomberg.

O responsável explicou ainda que o Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF) "só pode ser usado caso exista uma decisão unânime, o que quer dizer que se a Finlândia for contra, não existirá uma decisão".

Olli Rehn indicou ainda que a Comissão Europeia "está sempre pronta para apoiar cada Estado membro a encontrar soluções construtivas, incluindo neste caso", e ainda que "a decisão do programa de Portugal está nas mãos dos Estados membros", considerando importante que a Finlândia, após decidir a sua posição, negoceie com os restantes países.

Entretanto, a 'troika' que está em Lisboa para negociar a ajuda financeira a Portugal, ouviu hoje a associação de defesa do consumidor sobre a atividade que desenvolve, dando especial ênfase ao apoio que presta às famílias sobreendividadas.

A equipa da 'troika' que está em Lisboa, constituída pelo Banco Central Europeu (BCE), Comissão Europeia (CE) e Fundo Monetário Internacional (FMI), reúne cerca de duas dezenas de técnicos e é liderada por Juergen Kroeger (CE), Rasmus Rüffer (BCE) e Poul Thomsen (FMI).

Esta equipa está a realizar encontros com várias entidades portuguesas - desde parceiros sociais, centrais sindicais, partidos políticos a responsáveis e especialistas de várias áreas -, de modo a estabelecer os compromissos que Portugal terá de assumir para, em troca, receber o empréstimo pedido pelo Governo.

Outras Notícias