Economia

Ex-conselheiro de Kohl acusa Merkel de falta de visão política para a Europa

Ex-conselheiro de Kohl acusa Merkel de falta de visão política para a Europa

Horst Teltschik, antigo conselheiro do ex-chanceler alemão Helmut Kohl para a política externa criticou, esta segunda-feira, a actuação da chanceler Angela Merkel durante a crise europeia, acusando-a de falta de visão.

"A chanceler não apresenta qualquer ideia sobre o futuro da Europa, embora seja necessário fazê-lo já", disse Teltschick ao jornal berlinense Tagesspiegel.

"A Europa tem de responder a uma crise sistémica com uma resposta sistémica, e é evidente que precisamos de uma política orçamental comum, de uma política comum para combater as dívidas soberanas e de uma política financeira comum", acrescentou o especialista em política internacional.

O próprio Helmut Kohl desmentiu, no fim de semana, notícias de que teria afirmada que a sua antiga discípula Angela Merkel "está a dar cabo" da Europa que o ex-chanceler conservador ajudou a construir.

A afirmação terá sido feita por Kohl a um amigo, e foi divulgada na edição electrónica do semanário Der Spiegel, mas poucas horas depois desmentida pelo próprio Kohl.

"Estou preocupado, como muitas outras pessoas, com o desenvolvimento na Europa e o desenvolvimento do euro", disse Kohl, em comunicado do seu gabinete.

"No entanto, considero necessário e urgente que a chamada crise do euro não seja considerada uma crise estrutural, mas sim como aquilo que de facto é, o resultado de erros cometidos e dos desafios que se colocam quer à Europa, quer aos estados nacionais", acrescentou Kohl.

O "chanceler da reunificação", designação que lhe é normalmente atribuída pelo papel que teve na fusão das duas Alemanhas, após a queda do Muro de Berlim, em 1989, está retirado da vida política, e raramente aparece em público, depois de ter sofrido um grave acidente que obrigou a uma intervenção cirúrgica ao cérebro, em princípios de 2008.

Kohl, 80 anos, foi chanceler da República Federal da Alemanha entre 1982 e 1998, e o chefe do governo alemão-federal que se manteve mais tempo em funções.

Outros Artigos Recomendados